segunda-feira, 5 de maio de 2008

Enantiose.

Eu poderia ter gostado de você. Poderia ter experimentando sensações novas com essa probabilidade. Entretanto, quando a possibilidade do sentimento amanheceu, começou formar para chover e a ventania, que antecede a chuva, varreu para longe de mim o gostar.
Contudo, o que mais desafina a canção que um dia poderia ter sido nossa, é a indecisão.

Você é tão indeciso quanto um bêbado na hora de atravessar a rua.

O tempo escorre enquanto o bêbado fica analisando o melhor momento de sentir o cheiro das pegadas sendo deixadas para trás. E o que é mais desgastante entre o período da indecisão e o som dos primeiros passos, é que talvez o que esteja no outro lado da rua não mais vai estar quando o bêbado chegar.
Eu não gosto de você. Assim, não gosto. Talvez eu goste de outro alguém. Mas de você eu não gosto. Te vejo trancado do lado de dentro, porque o medo que você tem de ficar preso do lado de fora é maior. Bom, caso isso aconteça, vou te lembrar que bem na esquina existe um chaveiro, caso você precise. E, se por um acaso você topar com o bêbado, verá que os espelhos formarão entre si um ângulo e as milhares de imagens compostas te deixarão tonto. Nesse momento, recomendo que você vá para casa tratar da ressaca.

Por fim, a ficha caiu, mas a ligação há muito tempo havia sido cortada.

Enquanto você estiver andando para casa desprovido de profundidade, eu estarei imersa em alguma sagacidade. À medida que você estiver na sua superficialidade, eu estarei mergulhada na plenitude de querer beijos em poesia, abraços em prosa e o silêncio literário das bocas.
Entre as gigantes passadas que nos separam, algum resquício de memória mostra a pequenez efêmera de um passado que nunca nos pertenceu. Quando o tempo das lembranças chegarem, talvez você não precise mais curar sua ressaca e já ande com uma chave no bolso e eu, com certeza, estarei experimentando alguma asa e já tenha voado para mais longe de ti do que você de mim.

No final, quase antônimos: você que nunca gostou de mim e eu que quase gostei de você.

16 comentários:

Lucas Moura disse...

Eu acebei de ler esse texto, vc o tinha escrito em primeira pessoa... Suas palavras são tão fortes que às vezes sinto medo. São como verdades incovenientes (incovenientes pra quem as escuta), mas tão bem explicadas que me deixam estático, sem reação.

Excelente. É o que consigo dizer.

Nina disse...

e de novo em primeira pessoa pra ser mais impactante!

Allan disse...

"Você é tão indeciso quanto um bêbado na hora de atravessar a rua."

kkk boa!!!

irado o texto... eh como uma auto psicanálise.. voltada para qualquer um que se identifique com o texto..

o/ show!

Yves Berbert disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Yves Berbert disse...

E aqui está o qualquer um que se identificou com o texto a ponto de chorar feito um bebê.

"deixa estar, e o que não foi, não é..."

Anônimo disse...

vai cagar!!

J . disse...

É tão forte que eu senti tocar meu peito. Parabéns por dizer o que todos querem dizer e não sabem como.

Muito, muito bom!

naiara disse...

ninocaaa
veiiii.. ameiii... de verdadeeeee!!! velhooo, pago pau, viu?
as aulas de naldo tao servindo p alguma coisa neh? "espelhos que formam um angulo e varias imagens"? ehuehuehuehueh
mt mt mt mt massaa veiI!!
adooreiiI!!

bxaummmmmmmmmmmmmmmmm

Juliana Correia disse...

Nina, você escreve super bem. Adorei!

Pior que "quase gostar" é gostar MUITO e não ter troca... mas, no campo do amor, em tudo há dificuldade e toda delícia é superar. Tomara que chegue a hora de abandonar o quase...

Rodrigo Vaz disse...

Obrigado pelo comentário no meu blog nina...
Já passei por aqui outra vez. Vim pelo orkut...
Inteligente e inquieta com o mundo. Uma menina bem interessante

Inté

Michelle disse...

Serão poucas as pessoas q não irão se identificar com este texto.
è tocante demais...
Como J disse " é o q todos querem dizer e não sabem como".


:D demais!! *.*

Lucinete disse...

Perfeitamente perfeito, muito ótimo msm, muitos irão se idetificar c/ esse texto.

Juliana Correia disse...

Quero mais textos Ninisticos. A minha porção lírica está carente!

lily disse...

nina, seu texto está muito bom. gosto quando descreve sentimentos. suas comparações são originais e textos super femininos. Surgi uma nova Clarisse.

Renata Reis disse...

Ow Ninããooo. Eu ameeii ....
=)

Juliana Barbosa disse...

Super me identifiquei! Linda.